segunda-feira, 20 de maio de 2024

Mulher presa por stalkear médico chegou a ligar 500 vezes e a enviar 1,3 mil mensagens em um dia


 















Kawara Welch foi presa no início do mês por “stalking”, prática considerada crime desde 2021. Ela se apresenta nas redes sociais como artista plástica e começou a alimentar uma obsessão pelo médico, na expectativa de ter um relacionamento amoroso com ele.

O “stalking” é quando uma pessoa persegue outra, pessoalmente ou por qualquer outro meio, como telefonemas e mensagens. A pena varia de seis meses a dois anos de prisão.

Kawara foi acusada por um médico, que preferiu não ser identificado, de persegui-lo desde 2019. Ele diz que conheceu Kawara em 2018. Segundo o médico, com problemas de depressão. Depois de outros dois atendimentos, Kawara procurou a clínica onde o médico também trabalha. Foi quando o stalking começou a ganhar força.

“Ela teve acesso ao meu celular e começou a passar mensagens e fotos perturbadoras mesmo, amarrando lençol, corda no pescoço, se despedia de mim. Eu entrei em pânico”, conta ele.

Foi aí que, segundo o médico, Kawara passou a mandar mensagens em tom de ameaça. Ele, então, decidiu parar de atendê-la na clínica, mas Kawara insistiu. E quando ela ia ao hospital particular durante os plantões dele, o médico pedia à direção que outro profissional a atendesse. Ele passou a evitar contato com Kawara, mas não imaginava que a situação iria se agravar.

“Ela chegou a me passar 1.300 mensagens em um dia. E mais de 500 ligações num único dia. Eu troquei de número de celular umas três ou quatro vezes, mas parei de trocar porque vi que era totalmente inútil. Ela tinha uma facilidade incrível em achar meu número novo”, afirma o médico.

Kawara também fez ligações insistentes para a mulher do profissional e para o filho dele. Além dos telefonemas e das mensagens, as investigações da polícia encontraram montagens feitas por Kawara em redes sociais para dar a impressão de que os dois tinham um caso.

O médico também afirma que ela começou a persegui-lo nas ruas, no momento em que ele chegava ao trabalho e a um congresso de medicina. Ele conta que em 2022, Kawara invadiu o consultório onde uma paciente era atendida, e houve troca de agressões com a mulher dele. Um ano depois, mais um ataque no mesmo local, com xingamentos e até acusação de roubo.

“Tinha momentos de horrores, que eu entrava em pânico, porque ou ela aparecia ou ela fazia alguma coisa inesperada”. A polícia prendeu Kawara em flagrante, mas ela ficou apenas uma semana detida. Pagou fiança de R$ 3,5 mil e passou a responder ao processo em liberdade. Em março de 2023, a Justiça determinou a prisão preventiva dela por voltar a descumprir as medidas cautelares. Kawara ficou mais de um ano foragida até ser presa na semana passada, numa faculdade em Uberlândia, no Triângulo Mineiro, onde estudava nutrição.

O advogado de Kawara afirma que houve um envolvimento entre ela e o médico. Ele nega que tenha mantido qualquer relacionamento com ela. “Nós acreditamos não houve esse relacionamento. E, mesmo se houvesse, não justifica de forma alguma esse tipo de ação, esse tipo de conduta da Kawara”, afirma o delegado Rafael Faria.

O psiquiatra Daniel Barros, ouvido pelo Fantástico, diz que a prática de stalking pode ou não ter relação com transtornos psíquicos. No processo, não há nenhum laudo sobre as condições mentais de Kawara. Há um ano, o médico e a mulher dele estão em tratamento para controlar o pânico.

G1

Um em cada quatro eleitores do Paraná não vota em ninguém


 












A cada eleição realizada no Paraná, um em cada quatro eleitores prefere não escolher um candidato ou simplesmente deixa de comparecer ao pleito. É o que revela um levantamento exclusivo feito pelo Bem Paraná, o qual aponta que nas últimas seis eleições (primeiros turnos de 2012, 2014, 2016, 2018, 2020 e 2022) para definição de chefes do Poder Executivo (prefeito, governador e presidente) mais de 25% dos eleitores acabaram votando branco, nulo ou se abstendo no primeiro turno.

Conforme dados extraídos do sistema de estatísticas do Tribunal Superior Eleitoral (TSE), nos seis pleitos considerados pelo levantamento o eleitorado apto no Paraná somou 72.499.522 eleitores, sendo que 59.485.549 (82,05% do total) acabaram comparecendo às urnas, efetivamente.

Contudo, dentro do contingente de pessoas que foram votar, 3.504.721 eleitores que acabaram votando nulo e outros 2.244.889 que votaram em branco. Ou seja, 5,89% dos eleitores anularam o voto e outros 3,77% preferiram não declarar preferência por qualquer dos candidatos.

Além disso, 13.013.973 dos eleitores (17,95% do eleitorado apto nos seis pleitos) simplesmente não compareceram para votar — a chamada abstenção.

Assim sendo, nas últimas eleições 25,88% dos eleitores acabaram não votando em qualquer candidato para prefeito, governador ou presidente, sendo que 17,95% dos eleitores aptos se abstiveram (não compareceram às urnas), 5,89% votou nulo e 3,77%, em branco.

Bem paraná.

Acidente entre carro e caminhão é registrado em Cruzmaltina


 











Uma batida entre um veículo Corsa e um caminhão na PR-272, em Cruzmaltina, foi registrada neste domingo (19). A colisão aconteceu por volta das 15h50. A Polícia Rodoviária Estadual (PRE) atendeu a ocorrência.

Segundo a Polícia Rodoviária Estadual, no carro com placas de Curitiba estava apenas o motorista, de 26 anos, que não se machucou no acidente. O condutor do caminhão, de 43 anos, de Guarapuava, também não ficou ferido.

Conforme relatório da PRE, o Corsa trafegava pela rodovia PR-272 quando ocorreu a batida lateral contra o caminhão, que estava à sua frente, no mesmo sentido de direção. As causas do acidente serão apuradas. 

Um boletim de acidente de trânsito foi registrado.

Presidente do Irã morre em queda de helicóptero, confirma TV estatal


 











A mídia iraniana confirmou a morte do presidente do Irã, Ebrahim Raisi, de 63 anos, e do ministro das Relações Exteriores, Hossein Amir Abdollahian, após um acidente de helicóptero na província montanhosa do Azerbaijão Oriental.

A mídia estatal iraniana Press TV e as agências de notícias semioficiais Tasnim e Mehr relataram que todos os que estavam a bordo foram mortos.

Estavam na aeronave também o governador da província do Azerbaijão Oriental, Malek Rahmati; o condutor da oração de sexta-feira de Tabriz, Imam Mohammad Ali Alehashem; bem como comandante, copiloto, chefe de tripulação, chefe de segurança e outro guarda-costas.

Imagens de drones dos destroços tiradas pelo Crescente Vermelho e transmitidas pela agência de notícias estatal Fars mostraram o local do acidente em uma encosta íngreme e arborizada, com pouco resto do helicóptero, além de uma cauda azul e branca.

Pelo menos 73 equipes de resgate foram até o local, perto da vila de Tavil, na província iraniana do Azerbaijão Oriental, de acordo com Pir-Hossein Kolivand, chefe do Crescente Vermelho Iraniano, informou a Tasnim.

CNN Brasil

Investigação sobre suposta tentativa de golpe de Estado está “em vias de conclusão”, diz PGR em manifestação ao STF


 












A Procuradoria-Geral da República (PGR) informou, em meio a uma manifestação enviada ao Supremo Tribunal Federal (STF), que está “em vias de conclusão” a investigação sobre uma suposta tentativa de golpe de Estado e abolição do Estado Democrático de Direito a fim de manter o ex-presidente Jair Bolsonaro no poder após a derrota nas eleições de 2022.

A informação aparece na decisão do ministro Alexandre de Moraes que determinou, em 16 de maio, a soltura do coronel do Exército Marcelo Câmara, ex-ajudante de ordens de Jair Bolsonaro, conforme noticiado pelo analista Caio Junqueira.

Na decisão em questão, Moraes cita a manifestação da PGR sobre a necessidade de manutenção da prisão do coronel, que inclui o trecho sobre a eventual conclusão do inquérito.

STF tira do ar página de transparência sobre passagens e diárias após questionamentos da Folha


 














O STF (Supremo Tribunal Federal) tirou do ar todo o portal de transparência com informações à sociedade sobre gastos com passagens, diárias, funcionários, contratos e prestação de contas. Não ha previsão de quando voltará ao ar.

A medida ocorreu após o jornal Folha de S. Paulo fazer questionamentos à comunicação do órgão sobre justificativas de pagamentos de diárias de funcionários para viagens internacionais.

O tribunal afirmou que a medida ocorreu porque a corte “está em processo de atualização da ferramenta de gerenciamento dos sistemas de dados utilizados, que não eram atualizados desde 2015”.

Por este motivo, disse o STF, não foi possível ao tribunal confirmar o valor de R$ 564 mil gastos em diárias para o exterior neste ano, segundo dados visualizados pela reportagem antes de o site ter sido retirado do ar.

“Embora tenham sido realizados vários testes, alguns painéis apresentaram informações inconsistentes ou duplicadas. Por essa razão, algumas estatísticas poderão ficar indisponíveis até a correção”, afirmou.

A Folha havia solicitado informações sobre os gastos em diárias e as funções que os funcionários desempenharam nessas missões internacionais. Também foi questionada a origem desses recursos.

Indagou ainda o motivo de o funcionário Marcelo Ribeiro Pires, que atua na segurança do ministro Dias Toffoli, ter gasto R$ 99,6 mil de recursos públicos em diárias para o exterior em viagens para Londres, no Reino Unido, e Madri, na Espanha, conforme revelado nesta sexta pela Folha.

De acordo com o Siafi (Sistema Integrado de Administração Financeira) do governo, a quantia corresponde ao pagamento de 25 diárias internacionais, de 23 de abril até esta sexta-feira (17).

Segundo a assessoria de imprensa do STF, o pagamento das diárias de servidores segue o previsto na instrução normativa 291, editada em fevereiro deste ano.

De acordo com a norma, terão direito ao benefício os funcionários que, “no interesse do STF e em caráter eventual ou transitório”, desloquem-se para fora do Distrito Federal ou para o exterior.

A quantia deve ser destinada a despesas com hospedagem, alimentação e locomoção urbana. Ela não inclui os gastos com passagens, que entram em outra rubrica pelo tribunal.

A resolução ainda estipula que o pagamento de diárias para missão no exterior depende de autorização prévia do afastamento do funcionário. A autorização é feita por ato do diretor-geral do tribunal, “observada a disponibilidade orçamentária e a lei de diretrizes orçamentárias vigente”.

O servidor deve apresentar o motivo do convite ao exterior, “demonstrando a capacidade técnica, jurídica, científica ou cultural que evidencie a importância dos serviços a serem prestados ao STF”, além do cronograma das atividades a serem desenvolvidas, se for o caso.

Os valores para diárias internacionais são de US$ 959,40 para ministros e US$ 671,58 para demais beneficiários. Os recursos são pagos antecipadamente, de uma só vez, exceto em casos de afastamentos emergenciais —quando compreender período superior a 15 dias, poderão ser pagos em parcelas, segundo a norma.

Os ministros do STF estão sob pressão devido à falta de transparência sobre gastos em viagens para eventos na Europa, sobre as quais não divulgaram informações como custeio e período fora do Brasil.

Eles não costumam fazer viagens internacionais com passagens emitidas pelo órgão, com exceção de quem estiver na presidência da corte.

O assunto voltou à tona com a viagem dos ministros Gilmar Mendes, Dias Toffoli e Alexandre de Moraes para evento jurídico na Europa. O Grupo Voto, que organizou um fórum no qual os três participaram em Londres, disse que todos os custos operacionais do evento foram de sua responsabilidade.

O regimento interno da corte prevê que o presidente é quem representa o tribunal perante entidades externas e que ele deve exercer esse papel. Atualmente, Luís Roberto Barroso preside o Supremo.

Folhapress

“Crise no Rio Grande do Sul enterra o PSDB”, afirma economista Paulo Nogueira Batista


 










Durante sua participação no programa Brasil Agora, da TV 247, o economista Paulo Nogueira Batista Jr fez uma análise sobre a crise econômica e social que assola o Rio Grande do Sul, contextualizando-a no cenário político nacional. Enquanto o estado enfrenta as consequências das recentes enchentes, que resultaram em mortes e desabrigados, as declarações do economista apontam para a responsabilidade governamental e suas implicações partidárias.

O governador do Rio Grande do Sul, Eduardo Leite, do PSDB, foi mencionado como figura central nesse contexto. Nogueira Batista observou que a crise atual representa um desfecho político para o partido, especialmente diante da falha em prevenir a catástrofe e da falta de colaboração efetiva no socorro às vítimas. "É o último cargo importante nas mãos dos tucanos", ressaltou o economista.

Ao evidenciar a necessidade de intervenção estatal em momentos de crise, Nogueira Batista citou a postura do governador Leite e sua administração como exemplo do fracasso das políticas neoliberais em priorizar a competição em detrimento da solidariedade. Em contraste, a tragédia que se abate sobre o Rio Grande do Sul destaca a importância da presença do estado para enfrentar emergências e proteger os mais vulneráveis.

"A crise no Rio Grande do Sul enterra o PSDB", afirmou Nogueira Batista, ressaltando não apenas as consequências imediatas da tragédia, mas também suas implicações políticas de longo prazo.

Lula cobra agilidade de ministros para liberação de auxílio a moradores do RS


 











O presidente Luiz Inácio Lula da Silva (PT) cobrou agilidade de ministros para a liberação do auxílio a moradores do Rio Grande do Sul que foram afetados pelas enchentes.

Muitas pessoas perderam itens pessoais, roupas, eletrodomésticos, móveis, carros e até mesmo as casas em que moravam.

A cobrança foi feita ao longo de um almoço no Palácio da Alvorada, residência oficial da Presidência da República, em Brasília, neste sábado (18).

O pagamento do benefício no valor de R$ 5,1 mil foi anunciado nesta semana e é voltado às famílias que sofreram perdas nas enchentes. A medida provisória que autoriza os pagamentos já foi publicada, mas a portaria com os detalhes da liberação dos valores ainda está sendo construída.

Os ministros relataram ao presidente os principais desafios para garantir que os pagamentos sejam feitos para quem realmente precisa. Eles também informaram Lula sobre a criação de um site, a ser usado por prefeitos, para que as informações sobre os desalojados sejam depositadas e atualizadas.

CNN Brasil

domingo, 19 de maio de 2024

Duas pessoas morrem em assalto a ônibus na PR-444 em Arapongas


 















Duas pessoas morreram durante um assalto a três ônibus de viagem registrado na PR-444, em Arapongas, durante a madrugada deste domingo (19). De acordo com a Polícia Militar (PM), os criminosos se passaram por agentes da Receita Federal e fingiram realizar uma blitz na rodovia. Todos os bandidos estavam armados.

Os ladrões obrigaram os motoristas a continuarem conduzindo os três ônibus no sentido Mandaguari. No entanto, durante o trajeto, uma das passageiras conseguiu acionar os agentes da 7ª Companhia Independente de Polícia Militar (CIPM) de Arapongas. Os policiais abordaram os veículos e foi registrada uma troca de tiros entre as autoridades e os criminosos.

Conforme relatório da PM, dois homens vestindo roupas da Receita Federal desembarcaram de um dos ônibus. Um deles foi baleado durante o confronto e morreu no local. Outros dois suspeitos estavam no segundo ônibus de viagem; eles desceram do veículo e conseguiram fugir por uma região de mata. Os bandidos que estavam no terceiro coletivo fugiram em um Honda Civic antes que a passageira conseguisse acionar a polícia.
Segundo morto.

De acordo com o boletim de ocorrência da PM de Arapongas, a segunda vítima fatal teria se jogado de um dos ônibus em movimento e acabou sendo atropelada. Uma equipe do Serviço de Atendimento Móvel de Urgência (Samu) prestou atendimento, mas a pessoa não resistiu aos grave ferimentos.

Investigação apurará se essa vítima era um passageiro do ônibus ou fazia parte da quadrilha.

As autoridades realizam buscas pela região, mas até o momento desta publicação, os assaltantes que fugiram não haviam sido localizados.