quinta-feira, 10 de maio de 2018

PROJETO TURBINA NEGÓCIO DE EX-SECRETÁRIO DE POLÍTICA ECONÔMICA DA ERA LULA



Ex-secretário de Política Econômica do governo Lula, Marcos Lisboa conhece o caminho das pedras. Tornou-se sócio da Cerc Central de Recebíveis, empresa que deve faturar alto com o novo negócio de registro obrigatório de duplicatas eletrônicas, projeto pelo qual se empenhou junto à Câmara. A alegação é que o novo “cartório” reduzirá os custos com protesto. Lorota: protesto atinge menos de 1% do total. A informação é da Coluna Cláudio Humberto, do Diário do Poder.
Para reduzir custo de 0,01% das duplicatas, será cobrado o registro de 100% das duplicatas em empresas privadas, enriquecendo uns poucos.
Na pregação pelo negócio, Lisboa almoçou com deputados em abril, na casa de Rodrigo Maia, para “esclarecer de forma isenta” o projeto. Anrã
O projeto não cria a duplicata eletrônica, que existe desde 1997 e já soma 4 bilhões no País. O busílis está na obrigatoriedade do registro.
Outro “cartório” renderá ao Serasa centenas de milhões de reais, com o registro obrigatório de todos os contratos de financiamento imobiliário.